Conheça a designer de varinhas Molly Sole: A Olivaras do mundo real.

Escrito por: Karon Gravina e Bernardo Costa
Tradução: Bernardo Costa
Fonte: Pottermore

07/01/16


Molly Sole adentra a sala, me cumprimenta gentilmente e coloca um enorme pedaço de papel na mesa a nossa frente. Ela respira, sorri para si mesmo e abre o canto direito da pagina. Meu coração pula quando eu me dou conta do que estamos olhando: São as varinhas.

Estamos olhando para varinhas de 1920.
A varinha do Newt. A varinha da Tina. A da Queenie. A varinha que Colin Farrel usou para praticar como seu personagem Graves.  Estão todas aqui na pagina – lindas ilustrações detalhadas para cada um dos personagens principais de Animais Fantásticos e Onde Habitam.

Elas são muito delicadas, me pego passando a mão no papel, tentando visualiza-las em três dimensões.

Molly é a designer conceptual júnior no filme. Sua primeira tarefa para o designer de produção Stuart Craig foi arrancar detalhes do roteiro de J.K.Rowling e esboçar algumas opções de varinhas para os personagens principais. O projeto dos sonhos, obviamente. Ela é praticamente Olivaras; se Olivaras fosse uma mulher do século 21 com Photoshop.

"Eu sei pelos livros de Harry Potter que o bruxo tem que ter má afinidade com a varinha. Ela o escolhe." Ela diz. "É um pouco como pessoas e seus cachorros. Eu sinto que você pode ver traços da varinha no bruxo e do bruxo na varinha. Então tivemos que sentir e imaginar o material da varinha com uma parceria para com o personagem." 

"Essa tem que ser do Newt"eu digo, apontando para uma modesta varinha de madeira.

"Nós quisemos relaciona-la de alguma forma com o reino animal" Ela me conta. "Mas pensamos que era um pouco inapropriado dar a ele algo que carregasse um sentimento de troféu. Não pensamos que ele seria afim disso. A parte principal desta é madeira."

"Essa é a da Queenie?" Eu pergunto, espetando a mesa com meu dedo, como se eu fosse um competidor de algum jogo improvisado de "Adivinhe a Varinha". "Essa tem que ser a coisa mais próxima de uma varinha sexy que eu já vi. Só pode pertencer a Queenie."

"Essa é dela sim" Molly diz." Alison Sudol influenciou um pouco. Ela realmente gosta de arte Decó. Nós colocamos seu gosto naquilo e isso realmente nos ajudou a conseguir o período de tempo, a era, no design."

"Enquanto isso, a varinha da Tina é mais funcional. Um pouco mais tímida. David Yates não quis que ela fosse muito "jazzy", porque isso nao serviria na Tina. Nós usamos uma antiga varinha para a base da varinha de Graves."

"Você já segurou as reais? Nas suas mãos?" Eu pergunto. Deve ser incrível para Molly começar o processo de conseguir a visão de Stuart Craig no papel, levar ao diretor David Yates, preencher com todo o departamento de arte, envia-las e recebe-las de uma forma tangível.

"É fantástico! Quando eu as vi pela primeira vez, fiquei maravilhada com os detalhes. Quando você está produzindo o design, você não tem todo o tempo do mundo para racionalizar todos os elementos, para fazer a coisa de verdade, entao quando você finalmente consegue tocá-la. você fica como: "oh, gente - vocês fizeram isso tão bem". É maravilhoso de se ver."

Molly começa a embaralhar seus enormes pedaços de papel. Ela tem tanto para me mostrar. Tudo em um bom tempo…


Para conferir a publicação em inglês, clique aqui. 

You Might Also Like

0 comentários

Flickr Images

Twitter