O ator Eddie Redmayne vem com sua própria maleta.

Escrito por: Karon Gravina e Brunno Maia
Tradução: Brunno Maia
Fonte: Pottermore

10/02/16


‘Isso é um pouco constrangedor...’

Eddie Redmayne está me contando timidamente à história de como conheceu o diretor de Animais Fantásticos David Yates. Há um sorriso largo e brilhante em seu rosto sardento enquanto ele conta.

Eddie tem uma maleta. Uma de couro bronze igual a que seu personagem Newt Scamander usa para manter seus animais. É a primeira coisa que noto, repousada aos pés de Eddie. Ele nota que eu notei e eu digo, ‘essa é uma maleta do Eddie... ou uma maleta do Newt?’

‘É uma maleta do Eddie,’ ele diz, alisando-a com carinho.

‘Eu a tenho a cerca de oito anos. Meu pai trabalha na cidade e sempre teve uma maleta. Eu sempre atuei como forma de sustento, o que não me parecia um trabalho adequado, e eu queria um trabalho que parecesse adequado, então arranjei essa maleta.  Eu uso sempre que vou ao set. Eu guardo meus roteiros e outros papéis que acho úteis nela.’

Ele limpa a garganta gentilmente, enquanto uma pequena risada escapa de seus lábios. ‘Então quando David e eu tivemos nossa primeira reunião sobre esse filme, essa maleta estava comigo.

Encontramos-nos em um pub em Soho e nos sentamos junto à lareira. Enquanto ele começa a me contar sobre Newt e a trama básica do filme – que inclui Newt ter uma maleta mágica – eu disse “Eu juro que eu não sabia sobre a maleta do Newt. Eu não trouxe essa como um método estranho de audição – tipo, não se preocupe David, eu vim com minha própria maleta!” E temo que continue aqui, e ainda guardo toda minha vida nela. Não tanta vida quanto Newt tem em sua própria, mas...’

Não foi apenas o presságio que veio na forma dessa maleta que convenceu Eddie a aceitar o papel. Foi o grande respeito que ele tem por J.K. Rowling e David Yates (e a Harry Potter á propósito, mas chegaremos a isso em outra hora).

‘David tem um jeito tão amável e é incrivelmente gentil. Não havia dúvida de que eu queria fazer esse filme. Para mim a questão foi se eu conseguiria. Quando eu li o roteiro de J.K. Rowling, minha mente explodiu. Eu fiquei tão empolgado. O incrível é que eu achei divertido, empolgante, romântico. No final, eu estava profundamente comovido.

Texto original, em inglês, aqui

You Might Also Like

0 comentários

Flickr Images

Twitter