A Vida de Umbridge

25/05/2016   Escrito Por: C.Costa
Dolores Jane Umbridge. Para os íntimos, Cara de Sapa. É sobre esse ser único e repugnante que esta coluna tratará. Aqui, buscarei apresentar um pouco mais sobre a vida, carreira e personalidade de Dolores, destacando sempre sua personalidade e caráter junto à realidade do mundo bruxo. Deste modo, conheceremos um pouco mais sobre onde surgiu tamanha insensibilidade, arrogância e preconceito (sim, ela era preconceituosa) que acompanhamos durante os livros de Harry Potter, mais precisamente a partir de Ordem da Fênix. 

Inicialmente, vamos observar o nome da personagem que estamos tratando - afinal, todos os nomes em Harry Potter sempre tem um significado especial. Dolores é uma palavra do espanhol que significa “dor”. Já Umbridge é uma variação do termo da língua inglesa “umbrage”, que significa “ofensa”, “ressentimento”. Rowling se mostra, mais uma vez, um gênio: conseguiu definir uma personagem perfeitamente apenas usando seu nome e estudando etimologia.

É curioso observar, ainda, o uso de “Jane” como parte, não só do nome de Dolores, mas também de sua personalidade. O tom angelical e doce causa certa estranheza quando utilizado próximo à palavras etimologicamente tão pesadas e negativas. Porém (e mais uma vez), percebemos que nada é por acaso. Você se recorda da aparição de Dolores em ordem da Fênix? A caracterização de sua sala é bem particular... A “doçura” de Dolores Umbridge serve como forma de amenizar seu caráter duro e compulsivo. Todo esse aparato, esse rosa, essa delicadeza com o café, o apego aos gatos e o uso de “Jane” serve para nos mostrar o quão maquiado são os mais repulsivos pensamentos extremistas no Mundo Bruxo (e, obviamente, na realidade trouxa). 

Em outra análise, faremos um estudo biográfico. Dolores é (ironicamente) uma mestiça, ou seja, um dos pais era bruxo e, o outro, trouxa. No caso de Umbrigde, seu pai bruxo, Orford Umbridge, se casou com uma trouxa, Ellen Cracknell.  O casamento, porém, entrou em ruínas quando Ellen concebeu um filho Aborto. Apontada como culpada por Orford, Ellen tomou o filho e desapareceu. Desde pequena, portanto, observamos que Umbrigde filha foi educada com ideais preconceituosos, repassados através do convívio com o pai. Este, mais tarde, sofreria as consequências da educação dada à filha. Umbridge pai trabalhava no Departamento de Manutenção Mágica do Ministério da Magia, como uma espécie de "faxineiro". Indignada com a falta de ambição de Orford e envergonhada com a posição que ocupava, Dolores ofereceu dinheiro para o pai, assim que entrou no Ministério, para que este se "aposentasse" e ela pudesse seguir sua carreira desvinculada da figura do pai "limpador de chão". De acordo com o Rowling, coisas desagradáveis aconteciam com quem questionasse Dolores sobre o pai (mesmo esta negando qualquer ligação com o faxineiro) ou sobre qualquer outro assunto que ela não gostava de falar sobre.

Deste modo, e desde cedo, surge a Dolores que conhecemos nos livros e filmes. Preconceituosa, ambiciosa, manipuladora e mesquinha: todas essas características já conhecidas da bruxa (aqui, usando o significado trouxa para essa palavra) eram presentes da sua infância, resultado de um convívio familiar cercado de preconceito. Depois de sua estadia em Hogwarts, na qual foi selecionada para  a Sonserina, Umbridge ingressou no Ministério e iniciou sua carreira como estagiária no Uso Indevido de Magia. Depois de ser promovida à chefe de escritório, nossa amada Sapa chegou aos cargos mais altos de Departamento de Execução das Leis Mágicas. Tornou-se membro da Suprema Corte dos Bruxos - uma espécie de Parlamento - nesse período, cargo de muita importância no contexto político mágico. Porém, foi com Cornélio Fudge que Dolores enxergou uma possibilidade de ascensão meteórica. Já conhecida por ser bajuladora de seus superiores, Dolores aproveitou-se da insensatez de Fudge, que se achava ameaçado por Dumbledore, e tornou-se influência de alto valor para o Ministro. Umbridge torna-se Subsecretária Sênior do Ministro da magia.

Aqui, acontecem todos os eventos que conhecemos em Ordem da Fênix (aos quais eu não me prenderei muito). Seus conflitos com os alunos, a Brigada Inquisitorial, o episódio com os centauros e sua arrogância com os jovens bruxos são apenas um reflexo de uma pessoa extremamente má. Perceba que nem mencionei a Comissão dos Nascidos Trouxas, ato de maior repúdio de Dolores, e pelo qual foi condenada à prisão perpétua em Azkaban. Tamanho atentado contra a vida humana, seu apoio indireto à Voldemort e seus pensamentos  extremistas mostram que Dolores era tão vilã quando o Lorde das Trevas. O que mais impressiona é que, diferente de Riddle (sempre fez maldades, mas nunca foi aplaudido pela sociedade bruxa no geral), Dolores conseguiu, através de seus métodos, ocupar cargos importantes e  se destacar como uma bruxa "eficiente". Isso só demonstra o quão próximos estamos de convivermos com pensamentos extremistas e preconceituoso em nossa sociedade e, por mais absurdos que eles sejam, serem mantidos através de meios poucos convencionais (a tortura, por exemplo). 

Por fim, peço uma coisa a você, leitor paciente - e agora um pouco mais conhecedor da vida de Dolores. Nunca devemos aceitar pessoas em nosso meio que, utilizando discursos e cargos, nos obrigam a negar a educação, direito à liberdade ou, simplesmente, o certo. A Armada de Dumbledore foi um instrumento necessário para que os aluno se unissem e lutassem contra a tirania de uma pessoa. Usemos, portanto, de nossa maior arma contra todo tipo de julgamento prévio e injustiça existente: a educação, a busca pelo conhecimento apesar das dificuldades e, principalmente, a verdade. Afinal, se tem uma coisa que aprendemos com essa Cara de Sapa, é não contar mentiras...

You Might Also Like

0 comentários

Flickr Images

Twitter