[COLUNA] Então, é Natal

Autora: Maria Carolina Aráujo
      
As luzinhas estão piscando, os amigos-secretos estão sendo montados e o Hagrid está escolhendo os doze melhores pinheiros para colocar no Salão Principal. Talvez o professor Flitwick esteja pensando em como enfeitá-los depois de mais um ano que se passou. Eu sugeriria tons de azul e flocos de neve. Azul porque me lembra o famoso casaco do Newt e flocos de neve porque o simples fato de serem raros no Brasil é misteriosamente instigante.
         
        
Ornamentos à parte, vamos falar de 2016. Há uma infinidade de adjetivos que eu poderia usar para descrever esse ano, mas "parado" seguramente não é um deles. Pessoalmente, eu arrisco dizer que 2016 foi um ano "famigerado". Conheci essa palavra há alguns anos, em um conto de Guimarães Rosa no qual o protagonista vê-se confuso ao ser chamado por ela, uma vez que o adjetivo pode significar, simultaneamente, coisas boas ou ruins.

Pois bem, durante todo o ano, tivemos notícias de intolerância, guerras e xenofobia. Presenciamos a queda e a ascensão de presidentes. Sentimos os efeitos das mudanças climáticas. Os desdobramentos disso tudo, só o tempo dirá. Entretanto, você não deve ignorar os aspectos positivos de sua vida pessoal que tornaram o seu ano especial. Eu, por exemplo, além de, como vocês, me deliciar com a estreia de uma nova saga do mundo bruxo e de me apaixonar pelo Newt Scamander, consegui concluir meu ensino médio satisfatoriamente e tive o prazer de entrar para a equipe de Animais Fantásticos Brasil. Assim, eu penso que 2016 é o típico caso do copo preenchido até a metade: você pode enxergar o copo meio cheio ou meio vazio. Tudo é questão de perspectiva.

Agora, para desejar a todos vocês um fim de ano mágico, algumas sábias palavras de Alvo Dumbledore: "Pateta! Chorão! Destabacado! Beliscão! Obrigado."

Fiquem com a gente e FELIZ NATAL!

You Might Also Like

0 comentários

Flickr Images

Twitter